8 Indicadores De Necessidade De Treinamento Que Você Não Pode Ignorar

Pare De Deixar Trabalho Para Amanhã – 6 Dicas De Produtividade
4 de julho de 2017

8 Indicadores De Necessidade De Treinamento Que Você Não Pode Ignorar

No que se refere a treinamento e desenvolvimento todos concordam que é um tema importante e relevante para toda e qualquer instituição, todavia na hora da contratação, a importância desse tema perde sua relevância, e acaba sendo procrastinado, seja por falta de recursos financeiros ou até mesmo por alegação de falta de tempo do colaborador/servidor em deixar seu setor para não comprometer sua produtividade.

Essa minimização e/ou procrastinação é um problema sútil e silencioso que pode passar despercebido, todavia seus efeitos são sentidos quando os erros começam se acumular ou gerar algum tipo de prejuízo.

A intenção desse artigo e apontar alguns indicadores de necessidade de treinamento que não podem ser ignorados pelas instituições públicas ou privadas, para evitar que sofram as consequências vindas da falta de treinamento de seus colaboradores/servidores.

  • Por vezes o servidor não compreende a real necessidade de se ausentar do trabalho e algumas vezes não entende o verdadeiro benefício vindo do treinamento e ainda não sabe como inserir ou aprender os processos do seu dia a dia para otimizar seu trabalho.
  • Os gestores e responsáveis pela Gestão de Pessoas ou Recursos Humanos (RH) são envolvidos em outras atividades e partes burocráticas da organização.
  • Por outro lado os gestores financeiros praticamente ignoram a necessidade de treinamento por saber dos recursos financeiros escassos oriundos de constantes cortes visando redução de custos.

A resposta é simples visto que não faltam estudos na área para comprovar que o treinamento é uma ferramenta importantíssima para o aumento da produtividade e redução de erros de qualquer instituição. As instituições que não investem e/ou ignoram a necessidade de treinamento estão abrindo mão de um poderoso diferencial de otimização dos processos de trabalho de seus colaboradores/servidores visto que existe uma intensa relação entre a qualidade da formação e capacitação com o aumento da produtividade.

Os benefícios da capacitação e treinamento vai além da redução de erros, otimização de processo de trabalho e consequentemente o tempo e aumento da produtividade.

CHIAVENATO (2002), diz que para que um treinamento possa atender ao objetivo de forma adequada e eficaz é necessário enfatizar o conteúdo e os objetivos.

É importante que o conteúdo do treinamento contenha: Transmissão de Informações; Desenvolvimento de Aptidões; Desenvolvimento ou modificação de comportamentos e atitudes; Desenvolvimento de conceitos.

No tocante aos objetivos do treinamento é importante estar claros e com a finalidade de obter os seguintes resultados: Tornar os indivíduos aptos; Servir de ligação a um contínuo desenvolvimento e Transformar ações e atitudes.

Para ajudar os gestores a diagnosticarem a necessidade de treinamento listei abaixo os indicadores que devem ser observados e aplicados e de maneira nenhuma ignorados:

1. Metas estabelecidas para os setores não são atingidas
Sinal genérico de que algo não esta bem, é um sinalizador de que existe uma lacuna sem formação e desenvolvimento, mas constitui um bom ponto de partida para quem quer implementar um plano de capacitação de pessoal. Pode-se questionar se os colaboradores sabem que metas atingem? Está claro, dentro da instituição, o papel de cada um? Como competências individuais estão alinhadas com suas cargas e suas expectativas?

2. Baixo engajamento dos servidores em atividades ou projetos propostos
A falta de interesse pelas atividades ou projetos sinaliza um engajamento deficiente, e consequentemente é sinônimo de resultados pouco satisfatórios. Nesse contexto, faz-se fundamental uma análise sobre esse fraco compromisso e envolvimento. Será que o colaborador não se sente valorizado pela instituição?
Que recursos têm para aumentar a motivação?
Como reverter uma situação em um curto espaço de tempo?
Nas respostas a estas perguntas, o treinamento e desenvolvimento se transformam em algo quase obrigatório.

3. Aumento no número de faltas
Quando o colaborador é assíduo e de repente nota-se uma mudança nesse padrão de comportamento vindo a faltar ao trabalho com certa frequência, os gestores devem encarar o fato como um sinal de alerta e não apenas como simples descaso. Pouca motivação, desinteresse e sentimento de falta de enquadramento e missão dentro da instituição são, em grande parte das vezes, o cerne do problema.

4. Aversão à mudança
A aversão à mudança é típica em cenários profissionais estagnados e com pouca novidade. Nestes ambientes qualquer coisa fora da rotina gera resistência. A criatividade e a iniciativa que deveriam levar o novo, acrescentar coisas novas no dia a dia, ou seja, uma verdadeira mudança de comportamento e de hábitos são sufocadas pelo comodismo e estagnação.

5. Retrabalho por problemas em processos
Por vezes a falta de conhecimento de uma legislação, ou simplesmente de uma atualização
ocorrida pode gerar sérios problemas e/ou prejuízos, dentre eles o retrabalho, ou seja, tarefa realizada novamente por falha na execução anterior.
Esse é um momento da urgência de treinamento e desenvolvimento visto representar um motivo de grandes transtornos dentro da organização. Nesses casos é fundamental avaliar se os processos têm problemas, se os envolvidos no processo conhecem e entendem seus papéis e se existe suporte quando surgem dúvidas ou hesitações. É válido ressaltar que a partir do momento em que existe um preparo para desempenhar as tarefas, o servidor consegue produzir mais em um intervalo de tempo menor sem precisar do retrabalho.

6. Alta rotatividade de pessoal
Alta rotatividade é um problema bastante comum nas instituições. As consequências disso são problemas como falta de perspectiva de crescimento, cultura organizacional, problemas com uma liderança, ausência de reconhecimento. Quantos desses itens podem ser impactados por treinamento, do próprio colaborador ou do seu gestor direto? A alta rotatividade tem custo total elevado no médio prazo para empresa, sem contar com a capacidade produtiva que também é fortemente afetada.
Bons profissionais buscam o crescimento pessoal e o desenvolvimento das habilidades. Sendo assim, se os gestores se preocuparem em atender essa necessidade certamente conseguirá diminuir a rotatividade de pessoal.

7. Conflitos com a liderança
Quando não há preocupação dos gestores em utilizar o treinamento e desenvolvimento para fortalecer a cultura organizacional e reforçar os valores, a política e a filosofia interna, os servidores não conseguem trabalhar entrosados como deveriam, então começam a surgir os conflitos internos. Eles representam um enorme transtorno para as organizações. Representa um impacto negativo na produtividade e foco no que não é realmente importante. Os sintomas mais graves são uma redução da quantidade e qualidade das comunicações internas. Nessas situações uma capacitação em diferentes vertentes, sem dúvida, é uma ferramenta poderosa para minimizar danos.

8. Os colaboradores são especializados mas o conhecimento não está sendo corretamente aplicado
Ter conhecimento e não colocar em prática é a mesma coisa que não ter! A não aplicação de seus conhecimentos na sua organização por parte do servidor por falta de saber como aplicar, gera uma lacuna sem tamanho dentro da mesma. O maior conhecimento, agilidade e preparo para trabalhar são resultados do preparo que cada um adquire com o processo de capacitação e aprimoramento, um servidor bem capacitado será um profissional mais produtivo.

Diversos benefícios se podem desfrutar quando se investe em seus recursos humanos. Qualquer setor e qualquer cargo de uma organização podem e devem, passar por capacitação para atingir a qualidade total.

Os mercados, a regulamentação, os processos e as tecnologias estão cada vez mais segmentados e específicos. O estudo formal é muito valioso, mas é o fundamento, pois boa parte do conhecimento é aprendido no trabalho. Contudo, demora bastante. Assim como as ações de treinamento e desenvolvimento são uma forma principal de acelerar esse processo. Não restam dúvidas de que treinar de forma constante é um chave para o aprimoramento de cada colaborador e para garantir um melhor desempenho da organização. O maior conhecimento, agilidade e preparo para trabalhar são resultados do preparo que cada um adquire com o processo de capacitação e treinamento.

As experiências vivenciadas nos treinamentos permitem que os servidores estejam mais aptos, abertos a mudanças e a desenvolver o pensamento inovador que é fundamental para manter a o sucesso de toda e qualquer instituição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

BeTheme WordPress Theme